Gírias e abreviações do mundo literário!


Olá, olá! Faz mais de três anos que tenho o Instagram Books and More (não conhece? Clique aqui) e me deparei com várias gírias e abreviações que no começo, confesso, me deixaram meio perdida.
Fora o IG (Instagram), sempre acompanhei os booktubers (sim, são aquelas pessoas que fazem vídeos sobre livros na plataforma do YouTube) e com eles, mais gírias surgiram.
Para diminuir um pouco as nossas dúvidas frequentes, resolvi ter um papinho com vocês sobre isso!
Pra começar, já citei o que são booktubers (posso fazer um post indicando os que eu mais gosto!) e aquela abreviação clássica: IG. 
Vamos agora pras TAG's, que são comuns não só no universo literário, mas que fazem parte do cotidiano de quem acompanha o trabalho de outros leitores, seja através dos blogs, IG's, YouTube. TAG significa etiqueta em português e é basicamente o ato de ordenar algumas informações, através de palavras-chave, muitas vezes respondendo perguntas. Então nós relacionamos alguns personagens, livros, capas, autores e coisas do gênero ao que a TAG nos propõe. 
Também podemos nos deparar com a sigla TBR (To Be Read) que é a escolha das suas próximas leituras, aquilo que pretende ler. 
E as TBR's são muito utilizadas pra quando participamos de Maratonas Literárias, que são períodos (12 horas, 24 horas, semana, mês) onde nos desafiamos a ler mais do que estamos acostumados. Um intensivão de leitura! 
E depois dessas maratonas (em outros momentos também, claro), podemos enfrentar as tão temidas Ressacas Literárias que nos impedem de começarmos uma nova história porque a do livro anterior não sai da nossa cabeça. 


Usamos também a palavra calhamaço, que significa que o livro é beem grosso, é um livro com muitas páginas. O que muitas vezes pode nos levar a ler o e-book - livros em formato digital para lermos no celular, Kindle, tablet - já que é muito pesado para carregar. 
Ah,e todos nós temos problemas para comprar aqueles livros mais caros, por isso, muitas vezes, investimos nas versões pocket (livros completos, porém em uma versão pequena e, na maioria das vezes, sem orelha). 
Pra encerrar, vou significar alguns novos gêneros literários que têm conquistado cada vez as prateleiras dos leitores. 
Aqueles livros onde temos personagens femininas fortes, independentes e modernas entram no gênero Chick-Lit. Já aqueles livros com foco em personagens doentes, depressivos ou com tendências suicidas encaixamos no gênero Sick-Lit. 
E temos também os queridos YA (Young-Adults) que são livros voltados para o público jovem-adulto, onde temos personagens enfrentando obstáculos e com problemas que, muitas vezes, acontecem na vida dessa faixa etária (dos 14 ao 30 anos). 

Lembrando que essas minhas explicações não são oficiais, apenas tomei como base minha experiência nesse universo. 

Até a próxima! 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Notas de Liberdade

Contos de Viktor Bellafont